COMUNICADO SOBRE O REGIME DE AULAS NÃO PRESENCIAIS

Prezados pais/responsáveis e alunos de nossa querida família Ágape.

 

Desde o dia 08 de abril, estamos trabalhando incansavelmente para aprimorar nossos serviços e continuar a atendê-los com qualidade durante esse período tão complicado de nossa história.

Como já afirmamos em outros comunicados, as medidas de isolamento social como forma de combate à disseminação do COVID-19 mudaram por completo nossa rotina, e também transformaram a forma de estudar, tanto para alunos, como também para os pais/responsáveis, professores, gestores escolares e sociedade em geral.

Durante as duas últimas semanas, testamos algumas estratégias, recebemos algumas críticas e elogios vindos de vocês, e ouvimos também nossos professores, que estão na linha de frente dessa nova forma de mediar o processo de ensino e aprendizagem.

Agora, tendo em vista a perspectiva de prorrogação do período de paralisação das aulas presenciais até o dia 30/05, e o impedimento de alteração do calendário letivo por meio da antecipação do período de férias escolares, conforme deliberação do Conselho Estadual de Educação de Goiás, sentimos a necessidade de emitir um novo comunicado, na intenção de esclarecer nossa estrutura e metodologia adotadas para as aulas não presenciais.

Para tanto, vamos começar falando a respeito das medidas tomadas pela Direção e Coordenação para aprimorar nossas aulas, a partir da contribuições dos pais/responsáveis, alunos e professores; depois, vamos esclarecer de maneira técnico-pedagógica o porquê de estruturarmos o regime de aulas não presenciais desta forma; e, por fim, vamos fazer uma breve explicação sobre os dias letivos e carga horária, processo de avaliação e planejamento pedagógico do retorno às aulas presenciais.

 

Estrutura do regime de aulas não presenciais

A princípio, gostaríamos de reconhecer que essas duas semanas iniciais de implantação do regime de aulas não presenciais não foram fáceis, e algumas falhas realmente aconteceram e ainda estão acontecendo. Adaptar uma estrutura feita para a educação presencial, com mais de 25 anos de experiência, para um modelo completamente diferente de aulas à distância foi algo extremamente desafiador. Não pela falta de hábito com o uso de tecnologias, uma vez que nossa escola vem trabalhando numa proposta de Ensino Híbrido já desde o ano passado (projeto ainda em fase de planejamento), e sempre se valeu da expertise do Sistema COC by Pearson de Ensino, que oferece diversas ferramentas e conteúdos digitais de aprendizagem, além de um material didático de reconhecida qualidade.

Esse processo foi desafiador porque mesmo investindo em tecnologias de ensino, a própria estrutura de nossa escola favorece a educação presencial. E – é necessário reconhecer – nosso país ainda possuí um sistema educacional (normas, currículo e formação de professores) baseado na educação tradicional desenvolvida em meados da década de 1950, cujo foco do processo de ensino e aprendizagem era e ainda é o professor.

Por isso, a adaptação da Educação Básica para uma modalidade de ensino não presencial é tão complexa. Existem barreiras de ordem pedagógica na escola, nos alunos, nos professores e também nas próprias famílias. Ainda mais considerando que muitos dos pais/responsáveis dos alunos de nossa escola não possuem tempo hábil para auxiliar os filhos nos estudos, em razão da necessidade de manter a rotina de trabalho para o sustento do lar.

Mas, apesar das dificuldades, conseguimos estruturar um modelo bastante promissor, capaz de manter com qualidade o desenvolvimento pedagógico de nossos alunos. Para tanto, reforçamos algumas parcerias, e realizamos novos contratos com provedores de conteúdo pedagógico e soluções tecnológicas, bem como adotamos algumas ferramentas reconhecidas de comunicação do mercado.

 

Nossos parceiros de soluções tecnológicas e conteúdo pedagógico

 

Ferramentas de renome internacional utilizadas para facilitar a comunicação e o acesso à informação

 

Com o auxílio dessas ferramentas e parceiros, e após duas semanas de avaliação de nosso modelo, estruturamos o regime de aulas não presenciais da seguinte forma:

 

Educação Infantil:

  1. Aulas online de segunda à sexta no período da tarde, por meio do aplicativo de videoconferências Google Meet.
  2. Comunicação direta com os pais/responsáveis e compartilhamento de conteúdo pedagógico (rotinas semanais, atividades, videoaulas etc.), por meio do aplicativo Google Classroom.
  3. Comunicação direta com os pais/responsáveis e compartilhamento de conteúdo pedagógico (rotinas semanais, atividades, videoaulas etc.), por meio do aplicativo WhatsApp (grupos dos pais).
  4. Atendimento exclusivo e individualizado de nossos professores aos pais/responsáveis todos os dias em horários pré-definidos no período da manhã, com o objetivo de tirar duvidas sobre as atividades da aula do dia anterior.
  5. Conteúdos digitais de aprendizagem no Portal COC.
  6. Conteúdos digitais de aprendizagem de leitura e compreensão textual na plataforma Árvore de Livros (Jardim II).
  7. Conteúdos exclusivos produzidos especialmente para nossos alunos, por meio de nossas redes sociais (Instagram, Facebook e YouTube).
  8. Grade de horários das aulas com acesso facilitado, por meio do site alunos.colegioagape.com.
  9. Atendimento na Secretaria em caso de necessidade de atividades impressas.

 

Ensino Fundamental I:

  1. Aulas online de segunda à sexta no período da tarde, por meio de uma plataforma fechada e segura feita exclusivamente para o uso na Educação Básica (Dataeduc).
  2. Videoaulas gravadas por nossos próprios professores disponibilizadas por meio de link para download, rotinas semanais e atividades pedagógicas diversas compartilhadas na plataforma Dataeduc.
  3. Comunicação direta com os pais/responsáveis e compartilhamento de conteúdo pedagógico (rotinas semanais, atividades, videoaulas etc.), por meio do aplicativo WhatsApp (grupos dos pais).
  4. Atendimento exclusivo e individualizado de nossos professores aos pais/responsáveis todos os dias em horários pré-definidos no período da manhã, com o objetivo de tirar duvidas sobre as atividades da aula do dia anterior.
  5. Conteúdos digitais de aprendizagem no Portal COC.
  6. Conteúdos digitais de aprendizagem de leitura e compreensão textual na plataforma Árvore de Livros.
  7. Conteúdos exclusivos produzidos especialmente para nossos alunos, por meio de nossas redes sociais (Instagram, Facebook e YouTube).
  8. Grade de horários das aulas com acesso facilitado, por meio do site alunos.colegioagape.com.
  9. Atendimento na Secretaria em caso de necessidade de atividades impressas.

 

Ensino Fundamental II

  1. Aulas online de segunda à sexta no período da manhã, por meio de uma plataforma fechada e segura feita exclusivamente para o uso na Educação Básica (Dataeduc) – : retiramos da transmissão ao vivo as disciplinas extracurriculares ‘Amigavelmente’ e ‘Financeiramente’, que agora serão disponibilizadas apenas gravadas, e inserimos mais aulas das disciplinas obrigatórias do currículo (história, geografia e matemática).
  2. Videoaulas gravadas por nossos próprios professores disponibilizadas por meio de link para download, rotinas semanais e atividades pedagógicas diversas compartilhadas na plataforma Dataeduc.
  3. Feedback das atividades pedagógicas aos alunos por nossos professores, por meio da plataforma Dataeduc e também outros meios de comunicação (e-mail, WhatsApp).
  4. Comunicação direta com os pais/responsáveis e compartilhamento de conteúdo pedagógico (rotinas semanais, atividades, videoaulas etc.), por meio do aplicativo WhatsApp (grupos dos pais).
  5. Conteúdos digitais de aprendizagem no Portal COC, com videoaulas atualizadas toda semana seguindo o conteúdo da rotina didática do material dos alunos.
  6. Conteúdos exclusivos produzidos especialmente para nossos alunos, por meio de nossas redes sociais (Instagram, Facebook e YouTube).
  7. Grade de horários das aulas com acesso facilitado, por meio do site alunos.colegioagape.com.

 

Ensino Médio

  1. Aulas online de segunda à sexta no período da manhã e da tarde (redação e plantões de química, biologia, matemática e física), por meio de uma plataforma fechada e segura feita exclusivamente para o uso na Educação Básica (Dataeduc).
  2. Videoaulas gravadas por nossos próprios professores disponibilizadas por meio de link para download, rotinas semanais e atividades pedagógicas diversas compartilhadas na plataforma Dataeduc.
  3. Feedback das atividades pedagógicas aos alunos por nossos professores, por meio da plataforma Dataeduc e também outros meios de comunicação (e-mail, WhatsApp).
  4. Comunicação direta com os pais/responsáveis e compartilhamento de conteúdo pedagógico (rotinas semanais, atividades, videoaulas etc.), por meio do aplicativo WhatsApp (grupos dos pais).
  5. Conteúdos digitais de aprendizagem no Portal COC, com videoaulas atualizadas toda semana seguindo o conteúdo da rotina didática do material dos alunos.
  6. Conteúdos digitais de produção e correção de redações na plataforma Redação Nota 1000.
  7. Conteúdos exclusivos produzidos especialmente para nossos alunos, por meio de nossas redes sociais (Instagram, Facebook e YouTube).
  8. Grade de horários das aulas com acesso facilitado, por meio do site alunos.colegioagape.com.

 

Flipped Classroom (Sala de aula invertida) e o protagonismo do aluno

Essa estrutura pedagógica não foi adotada por acaso. Nossa equipe estudou bastante modelos híbridos de ensino, novas metodologias ativas utilizadas no processo de ensino e aprendizagem, e também experiências de sucesso no âmbito nacional e internacional.

Após intensa pesquisa, chegamos a um modelo metodológico possível nessa difícil realidade que nos cerca: a sala de aula invertida.

Essa metodologia traz como objetivo a inversão de papéis no processo de ensino e aprendizagem. Como nossos professores não têm condições de ministrar os conteúdos da mesma forma e no mesmo tempo, é preciso que os próprios alunos tenham condições de buscar eles mesmos as informações, para que os momentos de interação com os professores sejam utilizados de forma mais produtiva, para tirar dúvidas e fixar o conteúdo.

Nessa proposta, o aluno é o protagonista do próprio aprendizado. Nossos professores disponibilizam previamente o conteúdo (indicação de leitura, exercícios e uma pequena videoaula com a introdução de conceitos), e, após estudar esse conteúdo e realizar as atividades, os alunos passam por um momento de interação com os professores (aulas ao vivo) para tirar suas dúvidas e fixar o conteúdo.

Esse modelo metodológico inovador vem sendo utilizado com sucesso em diversas escolas pelo Brasil, e também é adotado em países referência na Educação (como Singapura, Finlândia e Canadá), além de ser uma metodologia incentivada pelo Sistema de Ensino COC by Pearson.

A princípio, pode parecer que a carga horária de aulas foi diminuída, e que o conteúdo não está “rendendo” da mesma forma como no modelo presencial tradicional. Entretanto, a partir do momento em que os alunos se adaptam à proposta, começam a desenvolver de forma acelerada uma autonomia no processo de aprendizagem, se tornando sujeitos ativos do seu próprio ensino. E tudo isso com a mediação de nossos professores, que além de selecionar os conteúdos previamente, gravar as videoaulas e realizar os momentos de interação ao vivo, também elaboram as atividades de fixação e mantém uma comunicação direta com os alunos, por meio do feedback avaliativo das atividades.

A adoção dessa proposta metodológica é também uma intenção de fortalecer o senso de responsabilidade de nossos alunos, por meio do desenvolvimento do hábito de uma autoavaliação de sua própria rotina. Em resumo, estamos investindo na tentativa de tornar nossos alunos protagonistas do próprio futuro.

Com isso, ao retornarmos às aulas presenciais, teremos alunos mais autônomos, seguros de suas capacidades de aprendizagem e habilidades de estudo. E isso vai fazer com que o rendimento das aulas presenciais seja potencializado, pois essa é uma metodologia que pode ter continuidade na educação presencial (ensino híbrido).

Portanto, temos a segurança de que nossa estrutura do regime de aulas não presenciais possuí um embasamento teórico robusto, e que já é comprovadamente bem sucedido em outras escolas nacionais e internacionais.

Sabemos, é claro, que uma mudança de metodologia não acontece da noite para o dia, e que alguns alunos podem experimentar mais dificuldades que outros nessa adaptação. Mas, como explicaremos no próximo tópico, estamos elaborando um planejamento cuidadoso para o retorno às aulas presenciais, com o objetivo de desenvolver um Plano de Ensino Individualizado para cada aluno que não conseguir aproveitar o conteúdo ministrado durante esse período de isolamento social.

 

Planejamento pedagógico de curto e médio prazo

Depois de detalhar nossa estrutura de aulas à distância, e esclarecer os fundamentos pedagógicos do modelo adotado, agora pensamos ser importante responder algumas dúvidas recorrentes nos contatos com a coordenação e direção, que estão ligadas ao planejamento de curto e médio prazo de nossa escola.

Nosso planejamento de curto prazo é relacionado com as adaptações imediatas no regime de aulas não presenciais, e também com o cumprimento de todas as normas emitidas pelos órgãos de fiscalização educacional do município e do estado.

Nesse sentido, uma questão comum entre os pais/responsáveis foi o aproveitamento legal do regime de aulas não presenciais.

  • Esclarecemos que de acordo com a Resolução 002/2020, do Conselho Estadual de Educação de Goiás, as aulas não presenciais são computadas como dias letivos, sendo efetivamente consideradas para a integralização da carga horária anual de cada série. Com isso, ao retornarmos às aulas presenciais, daremos continuidade aos conteúdos trabalhados na modalidade à distância.
  • Aos alunos que estão em localidades sem acesso à internet, e não conseguem acompanhar nenhuma das atividades pedagógicas à distância, nós providenciaremos um Plano de Ensino Individualizado para retomar o conteúdo perdido, assim que as aulas presenciais retornarem.

 

Outro questionamento recorrente foi a possibilidade de antecipação de férias escolares.

  • Esclarecemos que de acordo com a Nota Técnica 002/2020, do Conselho Estadual de Educação de Goiás, o calendário letivo do ano de 2020 permanece inalterado, com férias escolares previstas para o mês de julho. Infelizmente, nossa escola, mesmo pertencendo à rede privada de ensino, está vinculada à jurisdição dos conselhos de educação do estado e do município, e, por isso, não possuí autonomia para elaborar o próprio calendário, infringindo às normas legais. Portanto, não podemos antecipar férias para o mês de maio, e devemos manter o regime de aulas não presenciais.

 

Uma pergunta comum entre os alunos foi sobre a usabilidade da plataforma de transmissão de aulas ao vivo Dataeduc, que experimentou alguns problemas de acesso nos últimos dias.

  • Esclarecemos que a parceria com a plataforma Dataeduc não se deu por acaso. Essa é uma plataforma já consolidada no mercado, que atende nosso próprio sistema de ensino, juntamente com mais de 200 escolas pelo país.
  • É preciso reconhecer, infelizmente, que o acesso à plataforma foi difícil em alguns dias. Mas isso é algo natural nesse momento de crise, uma vez que em razão das medidas de isolamento social, o uso de dados da internet tem se multiplicado numa razão superior a capacidade de oferta e atendimento pelos provedores.
  • Nesse sentido, essa plataforma foi a que nos oportunizou um melhor atendimento de urgência, com o cadastro dos professores, turmas, alunos e disponibilização de tutoriais. Além disso, é uma plataforma feita especificamente para a Educação Básica, atendendo à todas as medidas de segurança exigidas pela legislação educacional e de proteção de dados.
  • Mas reiteramos nosso compromisso com a qualidade de atendimento. Assim, caso tenhamos novas falhas no acesso à plataforma, vamos avaliar alternativas, sempre buscando manter a prestação de serviços.

 

E uma última indagação constante foi a respeito da carga horária de aulas com transmissão ao vivo.

  • Esclarecemos que a diminuição da carga horária de interação com os professores é intencional, e se justifica pela metodologia utilizada e também pelo cálculo racional do tempo de atenção dos alunos às aulas em um modelo online.
  • Estudos científicos nos asseguram que o modelo de aulas online não segue o mesmo padrão das aulas presenciais, uma vez que nas aulas à distância os professores não precisam gastar tempo com a organização da sala, escrevendo conteúdo no quadro ou chamando a atenção dos alunos, não há horário reservado ao recreio, e os alunos fazem suas atividades fora do horário de aula. Ou seja, o tempo de aula é destinado exclusivamente às dúvidas dos alunos e fixação do conteúdo, rendendo de forma mais produtiva e acelerada.
  • Além disso, o nível de atenção dos alunos ao assistir videoaulas gira em torno de 30 minutos. Qualquer conteúdo além desse limite de tempo corre grandes chances de não ser aproveitado de forma alguma, em razão da dispersão da atenção dos alunos.
  • Outro fator a ser considerado é que na metodologia de sala de aula invertida, não é computado no cálculo da carga horária apenas o momento de interação ao vivo com os professores, mas também as aulas gravadas, as atividades dirigidas, as videoaulas e demais conteúdos disponibilizadas pelas plataformas de nossos parceiros, e, claro, o tempo de estudo dos alunos.
  • De tudo isso, ressaltamos que os alunos que seguem a rotina sugerida pela escola (com aulas ao vivo em um período, e estudos autônomos em outro) estão cumprindo uma carga horária de estudos superior ao cotidiano das aulas presenciais.

 

Já nosso planejamento de médio prazo se relaciona com o retorno às aulas presenciais. Mesmo não tendo perspectiva de retorno, uma vez que isso depende diretamente das decisões dos Governos estadual e federal, estamos construindo estratégias para eventual necessidade de reposição de conteúdos, e adaptação da rotina escolar para reforçar o processo de ensino e aprendizagem dos alunos que não conseguirem acompanhar o regime de aulas não presenciais.

Nesse ponto, uma pergunta de vários pais/responsáveis foi justamente sobre a reposição de aulas.

  • Esclarecemos que estamos avaliando constantemente a possibilidade de reposição de aulas. O período compreendido entre os dias 17/03 e 07/04, será devidamente reposto. Já o período a partir do dia 08/04 (quando iniciamos nosso regime de aulas não presenciais), somente será reposto se evidenciada a necessidade de retomada ou reforço de conteúdos não aproveitados com eficácia durante as aulas não presenciais.
  • Deixamos claro o compromisso da escola com a qualidade do ensino. Por isso, assim que retornarmos às aulas presenciais, faremos um Conselho de Classe por turma para averiguar até que ponto as aulas não presenciais podem ser aproveitadas em termos de conteúdo.
  • A partir do resultado desses conselhos, elaboraremos um planejamento de retomada/reforço de conteúdos, que poderão ser ministrados por meio de atividades extracurriculares ou reposição de aulas durante recessos previstos no calendário letivo.

 

No mais, reafirmamos nosso agradecimento na confiança e colaboração de cada um de vocês. Estejam certos que nossa equipe está trabalhando com muito profissionalismo durante esse período de crise, e que nosso maior objetivo é que os alunos mantenham sua rotina de desenvolvimento pedagógico, sempre preparados para o retorno às aulas presenciais.

 

Mineiros/GO, 24 de abril de 2020.

 

A Direção

Guilherme

Doró

Teley

 

Outras Notícias

Ver mais